Posts arquivados em: Tag: Lisa Kleypas

Lista 26mar • 2018

Algumas coisas que eu andei lendo em Março

Eu costumava atualizar o canal do blog com essa coluna chamada Round Up, onde eu comentava um pouco sobre todos os livros que eu havia lido naquele mês. Depois que eu resolvi – de novo – dar um tempo dessa coisa de YouTube, eu fiquei pensando em diversas formas de encaixar algumas coisas que eu fazia no canal, aqui no blog. E bem, eu confesso que estava sentindo muita falta de fazer aquele resumão de leituras que eu fiz no mês, principalmente agora que eu tenho me arriscado em leituras em inglês, no Kindle.

Março foi um mês de novas experiências. Com a Paralela lançando Mais Que Amigos, da Lauren Layne e a Arqueiro começando a nova série, Os Ravenels, da Lisa Kleypas, eu aproveitei todo o meu tempo livre para conferir essas novas leituras e, meu deus, estou completamente apaixonada. Se você gosta muito de New Adult, vale dizer que Lauren Layne escreve enredos maravilhosos, com diálogos incríveis e casais principais que combinam perfeitamente. E se você é apaixonado por romances de época, Os Ravenels vão se tornar o novo amor da sua vida, confia em mim.

Leia mais

Resenhas 13mar • 2018

Um Sedutor Sem Coração, por Lisa Kleypas

Mais um dia, mais uma vez dona Lisa Kleypas veio para roubar o meu coração. Eu não fui a maior fã de Kleypas quando li Uma Noite Inesquecível, mas Um Sedutor Sem Coração veio para me lembrar como a autora roubou meu coração anos atrás, quando lia Os Hathaways – um livro atrás do outro, sem parar para descansar simplesmente porque eu não conseguia largar aqueles personagens. E não é que essa série Os Ravenels irá fazer a mesma coisa comigo? Eu mal terminei o primeiro livro e já estou chorando para a Arqueiro lançar o segundo. Seria série o meu novo vício no mundo dos romances de época?

Um Sedutor Sem Coração trás o primeiro dos Ravenels, Devon, com a sua personalidade libertina e seu jeito irresponsável que conquista a gente logo na primeira página do livro. Nosso herói nunca teve que se preocupar com nada em sua vida até se tornar um Conde e herdar não só as terras de seu primo, mas também suas três irmãs e sua viúva. Tudo é muito novo para Devon, principalmente a parte de realmente ter responsabilidades, mas a forma como Kleypas trabalha a evolução deste herói ao longo dos capítulos ganhou meu coração totalmente. Eu tenho um fraco por romances de época que realmente exploram os libertinos e expõe todas as suas virtudes escondidas por trás daquela atitude sedutora. Leia mais

Resenhas 27ago • 2017

Uma Noite Inesquecível, por Lisa Kleypas

Lisa Kleypas está na minha lista de romancistas favoritas. Sua série, Hathaways é uma das minhas favoritas e é praticamente impossível você não se envolver com as peculiaridades dos personagens que ela cria. Por isso, quando a Arqueiro lançou Uma Noite Inesquecível, mesmo eu não tendo lido nenhum outro livro da série As Quatro Estações do Amor, eu decidi que não poderia deixar passar a oportunidade de voltar a romancelândia criada por Kleypas. É verdade que o fato do livro ser apenas um conto e o enredo se desenvolver muito rápido me incomodaram muito, mas Uma Noite Inesquecível ainda é tudo o que você espera da Lisa Kleypas e talvez um pouco mais.

Rafe Bowman está em Londres para conhecer Natalie Blandford, uma jovem dama inglesa com quem sua família aspira que ele se case. Porém, com seu comportamento americanizado e a sua terrível falta de modos, fazem com que Hannah, a acompanhante e prima da jovem, acredite que Rafe jamais seria o marido ideal para Natalie.  Com personalidades completamente opostas, Rafe e Hannah acabam convivendo muito mais do que a jovem gostaria e por mais que fosse adequado que eles não se aproximassem, nenhum dos dois consegue resistir a atração que existe entre eles.

Particularmente, eu não gosto nem um pouco de contos. Eu acho que a história acaba não se desenvolvendo da forma que deveria e que os personagens ficam mal construídos. Neste ponto, Uma Noite Inesquecível me incomodou bastante. Primeiro, o enredo não estava focado apenas nos personagens principais, mas também nos personagens que – acredito eu – foram apresentados nos volumes anteriores da série e, com isso, o enredo acabava tendo mais de um plot além do principal, deixando o leitor completamente perdido dentro do enredo. Eu, honestamente, não sabia qual era o foco da autora e nem porque ela desviava tanto do romance entre os personagens principais.

A escrita de Lisa Kleypas não decepciona. Eu gosto muito da forma como ela trabalha os seus capítulos e como, mesmo quando eu me sinto confusa com a história, eu simplesmente não consigo deixar o livro de lado. A forma como ela descreve o ambiente e desenvolve o diálogo entre os personagens envolve o leitor no enredo e faz com que a gente realmente sinta que está vivendo cada linha que ela escreveu. São poucas autoras que realmente conseguem escrever dessa forma – deixo aqui o meu olá para Tessa Dare e Sarah Maclean – e Lisa Kleypas com certeza está entre elas.

O romance é o que a gente já espera em um romance de época, mas confesso que essa é a primeira vez que eu leio um enredo em que o personagem principal é americano – o que eu acredito que tem ficado cada vez mais popular entre as autoras do gênero agora – e isso deu um tom totalmente diferente para a história, afinal, os americanos não tinham aquele ar aristocrata da época, o que, por fim, deixou a leitura ainda mais divertida, principalmente porque Rafe não estava costumado a pedir permissão e ser delicado, então suas cenas eram sempre impulsivas e tinham um certo efeito em Hannah que eu gostei bastante de ver.

Como acontece em todos os contos que eu leio, senti falta de algumas páginas. Eu acredito que Hannah e Rafe, por serem personagens dos quais eu gostei muito, mereciam uma história de amor mais elaborada e desenvolvida com mais calma. Acredito que ambos os personagens tinham uma personalidade com potencial de algo mais. Além disso, quero deixar aqui a minha reclamação por Natalie não ter tido um livro próprio. Por algum motivo, que eu não sei bem explicar, eu adorei essa personagem e queria saber mais sobre ela para conhecer melhor esse lado fearless que ela mostrou nesse livro.

Uma Noite Inesquecível, falando do ponto de vista de quem não leu nenhum outro livro da série As Quatro Estações do Amor, deixa um gostinho de quero mais que nos obriga a correr para livraria e comprar a série inteira. Os personagens de Kleypas são interessantes e possuem peculiaridades que eu não costumo ver outras autoras do gênero trabalharem em seus personagens – e é isso que me faz gostar tanto dos livros dela. Hannah, apesar de ser uma personagem passiva, tem seus momentos heroicos e nos ensina que é preciso ter muita coragem para admitir o que sentimos, mesmo que isso possa nos fazer sofrer depois.

Mais uma vez, Lisa Kleypas fez com que eu desejasse ter todos os livros dela na minha estante. Apesar do enredo ser muito curto, os personagens compensaram a falta de páginas e Lisa entregou os melhores diálogos que eu poderia desejar. Se você, assim como eu, ainda não conhecia a série As Quatro Estações do Amor, acho que Uma Noite Inesquecível pode ser um bom livro para começar.

Gostou dessa resenha?  Então se inscreva na Newsletter do blog para acompanhar os próximos conteúdos.

Lançamentos Notícias 13ago • 2017

O último livro da série “As Quatro Estações do Amor” chega às livrarias

O Natal está se aproximando e Rafe Bowman acaba de chegar a Londres para uma união arranjada com Natalie Blandford. Com sua beleza estonteante e o físico imponente, ele tem certeza de que a linda aristocrata logo cairá a seus pés.

No entanto, seus terríveis modos americanos e sua péssima reputação de farrista deixam Hannah, a prima da moça, chocada. Determinada a proteger Natalie, ela vai tornar a tarefa de cortejar a jovem muito mais difícil do que Rafe esperava.

Hannah, porém, logo começa a se importar mais do que gostaria com o rude pretendente da prima. Rafe, por sua vez, passa a apreciar um pouco demais a companhia de Hannah, uma mulher forte e pragmática com um coração doce e gentil. E quando Daisy, Lillian, Annabelle e Evie, quatro amigas inseparáveis que já conseguiram encontrar o homem de seus sonhos, decidem agir como cupidos, quem sabe o que pode acontecer?

Uma noite inesquecível é uma viagem mágica pela Londres vitoriana, com os diálogos espirituosos e personagens memoráveis que consagraram Lisa Kleypas como uma das autoras de romances de época mais aclamadas pelo público. Nesta continuação da série As Quatro Estações do Amor, os mais cínicos se tornam românticos e até os mais tímidos suspiram, arrebatados de paixão.

“Lisa Kleypas é uma romancista experiente que combina como ninguém os costumes da era vitoriana, uma pitada de humor e um toque da magia do Natal.” – Publishers Weekly

Comprar: Amazon | Saraiva | Cultura

Este conteúdo foi originalmente publicado no site da Editora Arqueiro.

Resenhas 27mar • 2015

Desejo à Meia-Noite, por Lisa Kleypas

Desejo à Meia-Noite é o primeiro livro da série Os Hathaways escrito pela autora Lisa Kleypas e publicado no Brasil pela Editora Arqueiro. Neste romance de época, somos apresentados aos Hathaways, uma família bastante unida que enfrenta muito mais do que apenas seus problemas financeiros.

Após a morte de seus pais, uma onde de má sorte começou a assombrar a família Hathaway. Com três irmãs mais nova e um irmão mais velho sempre perdido entre casas de jogos, bordeis e bebida, Amélia Hathaway já havia desistido da ideia de se casar, aceitando sua condição de solteirona e dedicando todo o seu tempo livre para cuidar sua família e tentar resolver os problemas que tinham.

Lisa_01

Quando seu irmão mais velho, Lorde Ramsay, desaparece por três dias, Amélia sai a sua procura pelas ruas de Londres e é quando seu caminho se cruza com o do cigano Cam Rohan, gerente de uma das casas de jogos mais frequentadas da cidade. Os dois sentem uma atração imediata um pelo outro, e sem acreditar que chegaria a vê-lo novamente, Amélia resolve guardar para si os sentimentos despertados por esse encontro.

Buscando um novo começo para a família e tentando impedir que seu irmão gaste todo o dinheiro que lhes restara, os Hathaways se mudam para Hampshire. Com todos os problemas financeiros ainda pendentes, e com um irmão sem intensão nenhuma de cooperar, Amélia vê seus caminhos se cruzarem novamente com os de Cam e dessa vez ela não poderá simplesmente esconder seus sentimentos.

“- Como gerente de um clube de jogo, é natural que o senhor entenda tudo sobre chances e probabilidades. O que significa que, racionalmente, não pode dar crédito à sorte, ao destino ou nada parecido.
– Sei tudo sobre chances e probabilidades – concordou Rohan. – Mesmo assim, acredito na sorte. – Ele sorriu e havia um brilho sereno em seu olhar que fez Amelia perder o fôlego. – Acredito em magia e mistério, em sonhos que revelam o futuro. E acredito em algumas coisas que estão escritas nas estrelas… Ou mesmo na palma das mãos.”

O livro é narrado em terceira pessoa, pemitindo que a gente tenha uma visão bem ampla do universo criado pela autora. Apesar do foco estar em Amélia e Cam, a autora permite que o leitor conheça e se aprofunde nos personagens secundários, já identificando alguns elementos e enredos que serão explorados nos próximos volumes da série, e isso foi o que eu mais gostei na leitura de modo geral.

Por mais que o livro fosse focado em Amélia, a autora não excluía os outros personagens do enredo, dando uma breve introdução sobre quem eles eram, seus medos e suas principais características. Achei muito importante poder conhecer todos os irmãos Hathaway e já me conectar com eles logo no primeiro volume do livro. Foi fundamental para que eu gostasse da história e tivesse vontade de continuar com a leitura.

Lisa_03

Amélia foi uma das heroínas que mais me surpreendeu, dentro do universo de romances de época. Apesar da condição social da sua família, ela não abriu mão da sua independência como mulher, mesmo sabendo que um casamento seria a melhor saída. Durante todo o livro, a personagem mantém seus conceitos, não permitindo que nem o irmão ou qualquer outra pessoa, digam o como ela deve viver sua vida ou mesmo se comportar.

É quando Cam Rohan entra na sua vida, com sua personalidade, desejos e sonhos completamente opostos. Cam acredita na liberdade, em dormir sob as estrelas e não tem nenhuma intenção de viver sob um teto por mais tempo que o necessário. Sua cultura faz com que a sua personalidade seja rígida, até mesmo um pouco fria, mas ao mesmo tempo, atraente. Apesar de não acreditar em bens materiais, e se julgar amaldiçoado por ser rico, o cigano acaba vendo nos seus infortúnios uma oportunidade de estar com a mulher que roubou seu coração.

“Abaixando a cabeça, passou as mãos no cabelo rebelde. O peito doía como sempre que ansiava pela liberdade. Mas, pela primeira vez, ele se perguntou se tinha certeza do que queria. Porque não parecia que a dor seria curada pela partida. Na verdade, ela ameaçava se tornar bem pior.”

Os personagens de Lisa Kleypas tem algo que eu amo: são opostos que se atraem e dão certo. Enquanto Amélia jamais aceitaria obedecer um homem por convenção social, Cam tem um comportamento ciumento e protetor por conta da sua cultura. Isso obriga os personagens a evoluírem e trabalharem suas personalidades, defeitos e qualidades para que possam ficar juntos. E essa evolução ao longo do enredo é que fez com que eu me apaixonasse pela escrita da autora.

Lisa_02

Desejo à Meia-Noite foi o primeiro romance que li da autora, e fiquei completamente apaixonada pelo enredo e por todo o universo criado. Houve, é claro, alguns pontos na narrativa que me incomodaram um pouco, mas nada que tornasse a leitura menos satisfatória do que foi.  Os personagens criados são envolventes, mesmo aqueles que ainda vão receber destaque nos próximos volumes da série. É uma leitura fácil, perfeita para quem apenas quer distrair a cabeça com uma boa história de amor.

Lisa Kleypas entrou para a minha lista de autores favoritos, ao lado da minha linda Julia Quinn, e eu mal posso esperar para ler os próximos volumes da série.

O Usuário laoliphantblog não existe ou é uma conta privada.