Posts arquivados em: Tag: Poesia

Resenhas 05abr • 2018

Bolerus, por Vanderley Sampaio

Boleros são canções, Bolerus é um besouro. É com essa ideia em mente que Vanderley Sampaio inicia seu livro de poesias, Bolerus. Como dito antes, Bolerus é um inseto, um animal frenético e barulhento, que voa pelos ares sempre inquieto. O livro de Vanderley tem muito da alma do besouro, seja nos poemas, na diagramação ou na maneira de compor os versos.

O livro é lançado pela editora Scortecci e muitos dos poemas presentes no livro foram publicados em jornais, sites e redes sociais, em destaque para o blog Absurtos. Vanderley é natural Garça, interior de São Paulo, e começou a escrever poesia ainda na adolescência. Depois das indas e vindas da vida, Bolerus nasceu. Leia mais

Resenhas 23out • 2016

As Amigas da Casa do Sol, por Fátima Freitas

Olá, Oliphants! A resenha de hoje é do livro As amigas da casa do sol, publicado esse ano pela editora Autografia. É um livro de poemas escrito por uma mulher e especificamente sobre mulheres. No plural mesmo, pois ela trata de diversos tipos de mulheres, com e sobre diversas características.  A autora, Fátima Freitas, é de São Paulo e formada em Serviço Social, atuando contra a violência doméstica contra a mulher no âmbito judicial e militando no movimento feminista desde 2005.

amigas da casa do sol

Confesso que fiquei um tanto curiosa ao receber o material de divulgação do livro e, também, que a capa me chamou a atenção por sua ilustração e por todas as insinuações que esta trazia – ainda mais se a relacionarmos com o tema do livro. Talvez, bem talvez, a informação de que a autora é feminista tenha me aguçado ainda mais a curiosidade.

amigas da casa do sol

O livro conta com quarenta e seis poemas de Fátima. Alguns tem como subtema liberdade feminina, beleza e até mesmo desejo. Mas todos eles falam sobre mulheres e suas incontáveis faces. Os poemas de Fátima fogem um pouco do senso comum, do esperado: não esperem por versos rimados, não é o caso – isso pode causar um certo estranhamento para algumas pessoas -, os mesmos vem em prosa.

 

Outra confissão: me incomodou um pouco o fato de que alguns poemas tinham suas estruturas modificadas ao meio do poema e isso acabava me deixando incomodada durante a leitura. E há no livro alguns pequenos deslizes de revisão que, creio eu, numa próxima edição possam ser resolvidos. Esses fatores, incômodos, não me impediram de efetuar a leitura e escolher um poema favorito dentre aqueles todos, que foi o Poema de Mim.

amigas da casa do sol

No mais, o livro de Fátima Freitas não me animou tanto e não foi o que eu esperava. Mas, pela descrição de Ivone de Assis Dias, a escritora do prefácio (pequena observação: nem todo mundo lê as abas dos livros, independente do texto ali encontrado, portanto, faz-se necessário informar que a autora do prefácio é a mesma pessoa cujo nome se encontra na aba), a autora parece ser uma mulher maravilhosa e inspiradora.

Resenhas 24ago • 2016

Estranherismo, por Zack Magiezi

Eu não sou fã de poesia, nunca fui, mas há alguns meses atrás eu me deparei com um pequeno livro chamado Estranherismo, da Bertrand Brasil, que me chamou atenção. Eu, pessoa que tem um, no máximo dois livros de poemas na estante – dados, não comprados – pela primeira vez na vida tinha encontrado uma poesia que havia instigado, interessado. Essa poesia era de Zack Magiesi, autor que vocês provavelmente já ouviram falar ou pelo menos já compartilharam um ou duas imagens da sua página no Facebook.

O livro se trata de um copilado de poesias datilografadas que falam sobre sentimentos da forma mais intima que vocês podem imaginar. Originalmente, as poesias eram publicadas no instagram do autor e rapidamente conquistaram uma legião de fãs pelo Brasil inteiro. Me pergunto como eu, leitora que sou, posso ter me deparado mais de uma vez com essa escrita na timeline do meu Facebook e nunca ter me aprofundado mais na escrita do autor. Às vezes as coisas acontecem na hora que precisam acontecer, não é mesmo?

Estranherismo

Estranherismo é um livro que toca o coração do leitor de diversas maneiras. Indo de poemas sobre amor, desapego para as tão famosas “notas sobre ela”, que até então, estão entre os meus poemas favoritos no livro. Mesmo pra quem não é muito fã de poemas, assim como eu, Estranherismo tem uma escrita leve, doce, que não exige pressa do leitor. Você pode ler uma página por dia, ou algumas páginas. Ou apenas abrir o livro em uma página aleatória e se deliciar com a escrita do Zack. Confesso que é um livro que eu sempre me pego folheando quando não estou fazendo nada.

Gostei muito que a Editora tenha mantido as características principais da poesia dele, criando um livro não só tocante, mas também bonito de se ter na estante. Depois desse meu primeiro contato com Zack, eu cai de cabeça na poesia nacional e encontrei outros autores que, assim como ele, tem muito a dizer em pequenas frases. Honestamente? Estranherismo pra mim é uma leitura que precisa ser feita por todo mundo. Não só pela poesia, mas pelo alívio no coração que esse livro te dá.

Siga o @laoliphantblogInstagram