Posts arquivados em: Tag: Ray Tavares

Entrevistas 08dez • 2017

Uma conversa com Ray Tavares, autora de Os 12 Signos de Valentina

Eu nem preciso dizer que aqui no La Oliphant, eu e os colabs, estamos completamente apaixonados pelo livro “Os 12 Signos de Valentina”. Além da Ray ter uma escrita maravilhosa, a sua personagem Isadora é uma garota de quem todo mundo ia gostar de ser melhor amiga. O livro foi lançado sob selo Galera Record, mas a verdade é que ele veio diretamente do Wattpad, o que só faz tudo ser mais incrível ainda, não é mesmo?

Os 12 Signos de Valentina é o livro perfeito para os leitores que adoram um mapa astral, viu? O livro vai contar a história da Isadora, uma garota que, depois de ter o seu coração partido por um pisciano, resolve criar um blog anônimo para contar as suas experiências com os boys de cada signo. E assim nasce “Os 12 Signos de Valentina”. Para saber mais sobre essa história que de perfeita tem TUDO, eu conversei com a Ray Tavares sobre seu livro de estreia e se você está interessado nesse enredo, essa entrevista vai te convencer a colocar o livro na estante.

Entrevista completa com Ray Tavares:

La Oliphant: Oi Ray! Primeiro eu queria muito te agradecer por conversar comigo sobre o seu livro. Eu não sei se muitas pessoas sabem que, inicialmente, você escrevia fanfics – eu lia Gossip Boys, viu?!  Como que foi esse processo de você sair de uma escrita de fanfic e começar a trabalhar na construção do seu próprio universo? Você teve que mudar muita coisa na forma como você desenvolvia o seu enredo e personagens?

Ray Tavares: Eu que agradeço pela oportunidade e por estar me ajudando tanto com a divulgação do livro – eu amei a resenha do blog. <3 Menina, parece até que faz uma vida que eu comecei a escrever Gossip Boys! Eu inclusive estou repostando ela no Wattpad, e parece outra Ray escrevendo, uma com menos técnica, mas muito mais sonhos impossíveis. É esquisito, porque a maior transição não foi passar de fanfics para histórias originais, mas sim o amadurecimento pessoal, que me levou a não querer mais falar sobre os carinhas da minha banda favorita, mas sim contar histórias que poderiam muito bem se passar no nosso dia-a-dia. Acho que a grande diferença foi parar de sonhar com coisas impossíveis e começar a encontrar inspiração em histórias reais, em narrativas que poderiam acontecer comigo, com você, com qualquer pessoa.

La Oliphant: Todo mundo sabe que ser autor nacional no Brasil não é uma tarefa muito fácil. Exige muito trabalho, dedicação e graças ao Wattpad, muitos acabam conseguindo chamar a atenção das editoras, não é mesmo? Como que foi, para você, a experiência de sair do Wattpad e ir trabalhar com a Galera Record?

Ray Tavares: É incrível, né? Poder ter a estrutura necessária para conhecer outras cidades do Brasil em sessões de autógrafo, uma equipe editorial impecável, uma equipe de marketing incrível, pessoas lá dentro que se tornaram minhas amigas de verdade! Foi a melhor experiência da minha vida! Mas a gente também precisa abrir os olhos de quem acha que é fácil, ou rápido, ou “vou acumular um número X de leituras e todas as editoras vão me querer”, porque não é assim. Eu escrevo desde os 13 anos, foram 11 anos online em site de fanfics, sites próprios e, eventualmente, no Wattpad. Eu sempre me dediquei de corpo e alma. De Wattpad mesmo foram 4 anos antes de conseguir chamar a atenção de uma editora grande! Então se a pessoa não está disposta a se dedicar verdadeiramente à escrita, se ela não tem paciência nem estrutura para lidar com a rejeição (porque serão muitas), ela vai acabar se frustrando, porque as coisas são lentas, você precisa criar uma base de leitores que curtem suas histórias, escrever pra caramba, produzir conteúdo de boa qualidade sempre… não é fácil. Ainda mais quando não vivemos disso, escrevemos de graça e temos que conciliar com faculdade, estágio, emprego, etc.

La Oliphant: Falando um pouco sobre “Os 12 Signos de Valentina”, de onde veio a ideia de criar a Isadora e todos os personagens maravilhosos que estão nesse livro?! Você sempre teve essa vontade de inserir o universo astrológico dentro do enredo?Ray Tavares: Foi uma ideia muito mais generalista do que específica – eu não acordei um dia e pensei “eureca, tenho um enredo inteiro na minha cabeça!”, eu só imaginei como seria divertido misturar romance com astrologia, e as partes do todo vieram aos poucos, depois de muito quebrar a cabeça no roteiro. A Isa é muito parecida comigo, o Andrei foi criado em base nas características que eu considero legais em um cara, a Marina é uma mistura de todas as minhas amigas e o Rodrigo é um apanhado dos meus amigos nerds. “Os 12 Signos de Valentina” foi muito mais construção e trabalho contínuo do que uma super inspiração que eu tive no chuveiro! Claro que eu tinha os meus momentos, e, no meio da história, tive uma desilusão amorosa, então contribuiu para conseguir chorar as pitangas de maneira tão realista! Hahaha.

La Oliphant: O livro quando é publicado por uma editora acaba sempre passando por algumas mudanças. Como que foi para você ter que adaptar “Os 12 Signos de Valentina” do formato Wattpad para o formato de publicação? Teve muitas mudanças da versão original ou você conseguiu manter muito do que os leitores já conheciam?

Ray Tavares: Cara, eu estava um pouco receosa com as coisas que teria que mudar, porque eu sou muito apegada com o plot de “Os 12 Signos de Valentina”, mas, no final das contas, a minha editora é tão maravilhosa que acabou deixando o livro muito melhor do que o original sem mudar nada em sua essência. Eu só cortei pequenos detalhes, coisas que não condiziam muito bem com a realidade, e adicionei cenas importantes para contextualizar o antigo relacionamento da Isa e explicar melhor o porquê dela ter ficado tão mal com o término. O livro ficou muito bom depois desse processo!

La Oliphant: Nós sabemos que “O 12 Signos de Valentina” não fala apenas sobre a experiência da Isadora conhecendo todos os signos do zodíaco, mas também aborda questões sobre política e feminismo. Você sentiu alguma rejeição por parte dos seus leitores ao escolher abordar esses temas na história?

Ray Tavares: Olha, por parte dos meus leitores não, porque quem me acompanha há bastante tempo sabe que eu sou muito apegada a questões sociais; eu sou formada em gestão de políticas públicas, então meu apego à questões que impactam o Brasil é muito grande. Eu tenho as minhas ideologias e não tenho nenhuma vergonha em mostra-las, porque eu acho que o pior que uma pessoa que tem um público pode fazer é ficar em cima do muro em questões que esbarram na sociedade em que está inserida – eu acho que todo mundo que tem o poder de influenciar alguém deveria fazer algo benéfico com isso, tentar mudar alguma coisa. Por que eu vou ficar quieta quando sei que existem adolescentes que podem ler o meu livro e se sentir mais empoderadas? Ou, não sei, ler o meu livro e repensar questões ultrapassadas, como homofobia ou machismo. Então eu falo mesmo, cutuco mesmo, e tive uma ou duas reclamações em resenhas do livro sobre misturar romance e política, mas acho que essas pessoas claramente não me conhecem! Isso não me incomoda, porque é o meu estilo de escrita, faz parte da minha essência como escritora, então, se a pessoa não curte mesmo ser provocada com algum tema polêmico enquanto lê um romance, os meus livros não vão fazer muito o gosto dela.

La Oliphant:  Todo o autor tem o seu próprio processo de escrita e criação dos seus personagens. Como foi que a Isadora surgiu para você e como que você soube qual seria a história dela?

Ray Tavares: A Isadora é uma versão mais corajosa de mim mesma! A criação dela foi fácil, porque ela faz parte de mim, e as atitudes que tomou ao longo da história fazem sentido na minha cabeça; é fácil construir um personagem que parece bastante com a gente, difícil é construir um que seja completamente diferente, como está sendo a minha próxima heroína. Agora, a história da Isa foi um pouco mais complicada, porque é bem difícil você passar a mensagem de que todos nós temos que ser felizes sozinhos antes de encontrar alguém no meio de um livro de romance, né? Hahahaha. Mas depois de muito quebrar a cabeça, acho que eu consegui construir algo que se assemelhe com essa mensagem.

La Oliphant: Vamos falar um pouquinho de signos?! Eu sei que tem muita informação sobre o zodíaco por aí. No Facebook mesmo temos diversos grupos e muita gente disposta a interpretar o seu mapa. Você teve que fazer uma pesquisa muito longa sobre cada signo para poder desenvolver seus personagens? E qual foi o signo que você mais gostou de escrever?!

Ray Tavares: Eu sempre me interessei por astrologia, leio sobre o assunto desde pequena, porque a minha mãe curte muito e passou esse hobby pra mim. Eu pesquisei bastante, claro, mas muita coisa foi meio que intuitiva dos perfis que eu já havia criado na minha cabeça! Acho que o mais divertido foi o sagitariano, porque são pessoas bem peculiares e a cena ficou bem engraçada!

La Oliphant: Muitos leitores ainda tem uma certa resistência aos livros nacionais. Em algum momento você sentiu rejeição por parte dos leitores? E o que você diria para os autores iniciantes que ainda estão tentando conquistar o seu espaço no meio editorial?

Ray Tavares: Eu não senti propriamente uma rejeição, do tipo “isso eu não vou ler porque é nacional”, mas sempre rola o famoso “eu tenho um monte de livro gringo pra comprar, mas assim que conseguir dinheiro eu compro o seu!”, hahaha. Mas sabe que eu sinto que isso vem mudando? Eu via tanta gente com livro nacional embaixo do braço na Bienal que fiquei esperançosa que esse cenário se reverta nos próximos anos! E se a gente for ver, a lista com os mais vendidos das grandes editoras na Bienal do Rio desse ano tinha muito título nacional. Acho que o negócio é continuar incentivando autores nacionais que você admira, porque isso abre portas para que, daqui algum tempo, o nosso “market share” seja de 50% pra 50%. Não adianta a gente ficar puto porque determinado autor conseguiu publicar pela editora dos nossos sonhos, ou porque determinada autora vende que nem água – eles estão trilhando o caminho quando ele ainda é de terra, porque daqui a pouco serão capazes de pavimentar tudo e mais escritores vão poder seguir suas carreiras em uma estrada asfaltada! Nossa, que metáfora, eim? Hahahahaha.

La Oliphant: Para a gente finalizar, eu gostaria de saber se nós temos outros projetos seus vindo por aí. Eu sei que você tem outros livros no Wattpad e os leitores do blog gostariam muito de saber se podemos esperar outras publicações vindo por aí. Diz que sim!

Ray Tavares: Siiiim! Tenho dois projetos pra 2018, um sai logo no primeiro semestre, e vai ser um livro de contos com heróis do imaginário popular transformados em mulheres e com cenários atuais. A Fernanda Young ficou com o Zorro, a Laura Conrado com os Três Mosqueteiros, a Pam Gonçalves com Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda e eu fiquei com o Robin Hood! E no segundo semestre tem meu segundo livro solo, em que eu vou ensinar todo mundo a sair da friendzone! 😀

 

Compre Agora: Amazon | Livraria Cultura

Isadora é ariana e seu ex namorado pisciano… Inferno astral! Em busca da combinação astrológica perfeita, ela cria um blog para relatar suas experiências Isadora descobriu da pior forma possível que o namorado a traíra. E com sua melhor amiga, ainda por cima! A estudante de jornalismo entra numa fossa sem fim. Sem nenhum estágio à vista, ela se afoga em filmes feitos para chorar, pizza e em sua mais nova obsessão: stalkear o perfil do ex namorado no Facebook. Até descobrir exatamente o que deu errado entre ela e Lucas: seus signos são incompatíveis. Basta encontrar um rapaz de libra e seu mundo entrará nos eixos novamente. Com a nova obsessão e a desculpa do trabalho final de jornalismo online, uma reportagem investigativa sob um pseudônimo, Isadora une o útil ao agradável e cria um blog para relatar a experiência: Os 12 signos de Valentina. Já que precisa encontrar o libriano perfeito, por que não aproveita e experimenta os outros signos do zodíaco para ter certeza mesmo?

 

Gostou da entrevista? Então se inscreva na nossa newsletter para acompanhar os novos conteúdos do blog!

Resenhas 09nov • 2017

Os 12 Signos de Valentina, por Ray Tavares

Os 12 Signos de Valentina é um livro escrito pela brasileira Ray Tavares e publicado em 2017. Ray começou sua carreira no Wattpad, após ganhar o prêmio Wattys de voto popular e alcançar mais de 2 milhões de leitores na plataforma, a autora foi convidada a publicar na Record pelo selo editorial Galera.

Os 12 Signos é um livro extremamente engraçado, é impossível não se divertir e dar umas boas risadas com a Isadora, nossa protagonista. A história toda gira após Isadora ser traída pelo namorado de 6 anos e resolver passar o rodo no zodíaco, palavras da própria. Na verdade ela só está com o coração partido, a autoestima carcomida e sem muito animo para nada, mas sua prima, Marina, obriga Isadora a dar a volta por cima. Depois de um encontro hilário com a faxineira de uma boate na Augusta, Isadora resolve juntar o útil ao agradável e criar para um projeto da faculdade o blog 12 Signos de Valentina, como proposta investigativa ela promete sair com cada um dos 12 signos do zodíaco e narrar a sua experiência com cada um deles.

–  Boa noite, Isadora  –  cumprimentou ele, falando o meu nome daquele jeito quase maldoso e característico dele.  –  Nem te vi chegar.
–  Ah, pois é, eu aparatei até aqui  –  comentei.
Andrei ria, mas o resto dos engenheiros não entendeu a piada, e eu me senti a coisinha mais estúpida da face da terra.
– Por isso que não nos encontramos – continuou ele, sem perder o sorrisinho divertido – , usei o pó de flu.

Uma coisa muito boa em Os 12 Signos de Valentina é a enxurrada de referencias. Você encontra de tudo, desde música brasileira até Harry Potter. Não posso negar que como uma Potterhead isso já era o suficiente para ganhar meu coração. A autora não deixa nada jogado, um erro que muita gente comete por aí, as referências fluem e fazem parte da comédia do livro. Isadora é nerd e é muito engraçada, é óbvio que ela não pode deixar de fazer piada com tudo. Não é só de risos que vivemos. O enredo do livro também é muito bom. De um lado temos uma universitária tentando superar um pé na bunda, do outro temos um monte de alunos da faculdade cada vez mais desesperados com o blog, querendo descobrir de qualquer maneira quem é a Valentina.

Outro ponto que se destacou para mim durante a leitura foi o posicionamento da autora, ela não foge de questões sociais, de inclusão e discussões políticas, ato que julgo extremamente corajoso. Vemos o posicionamento de diversos personagens discutindo igualdade de gênero, questões sociais e política. Independente no que você acredite, o livro abre um leque de assuntos que merecem ser colocados em pauta. Também temos muito da corrente feminista e do Girl Power no decorrer das páginas. Discussões sobre slut-shaming, empoderamento feminino, privilégios sociais, é uma porção de assuntos que fazem parte da vida de qualquer ser humano e que estão ali para moldar os personagens e trazer á tona assuntos que são vistos como desconfortáveis.

(…) ando recebendo algumas críticas e julgamentos de gente que, a meu ver, não tem muito que fazer e fica regulando a vida amorosa dos outros (…), dizendo que eu deveria “me dar ao respeito”, ou que eu não sou “exemplo para outras mulheres”, e até que eu vou “acabar sozinha se continuar vagabundeando por aí”, e para essas pessoas eu tenho um recadinho: eu não sou menos ou mais mulher porque decidi curtir um pouco a minha solteirice, mas você é menos humano e inteligente por querer ditar o que eu devo ou não fazer da minha vida.

A escrita da Ray é muito gostosa, as páginas vão passando e tudo que você quer saber é até quando Isadora vai continuar com essa loucura. Os diálogos são bem construídos e os personagens cativantes. Além da Isadora, eu gostei muito do Andrei. Ele se mostrou um par romântico condizente com a nossa protagonista forte e bem resolvida. Meu maior medo no início da leitura era rolar um dramalhão envolvendo o blog e os vários experimentos antropológicos, tive uma grata surpresa.  Super recomendo a leitura de Os 12 Signos de Valentina, principalmente se você quer se divertir após um dia estressante. Livros como este só mostram o quanto temos bons autores no Brasil. Para finalizar, Leão é o melhor signo do zodíaco.

Gostou da resenha? Então se inscreva na newsletter do blog para acompanhar os próximos conteúdos.

O Usuário laoliphantblog não existe ou é uma conta privada.