29 set, 2020

estou perdendo minhas livrarias: um desabafo

estou-perdendo-minhas-livrarias-um-desabafo

as livrarias estão ficando vazias.

de pessoas. de livros.

eu quebrei a quarentena para ir na livretto – a única livraria da minha cidade – para buscar alguns livros espíritas que eles tinham lá e me deparei com um cenário de partir o coração.

eles não recebiam lançamentos desde o inicio da pandemia. estavam vivendo com o que tinham nas estantes, o que já não era mais muita coisa. as prateleiras estavam praticamente vazias e sem poder oferecer o serviço de delivery – apenas em casos extremos, eles estavam tirando leite de pedra.

parece a realidade da minha livraria, mas sabemos que livreiros do país inteiro estão sofrendo com o mercado. no próximo mês os livros vão sofrer um reajuste, o que significa que aquele livro da julia quinn que antes custava R$39,90, agora poderá custar R$49,90. e ao contrário da amazon que trabalha o preço que ela quer, os livreiros não tem muito para onde correr.

as livrarias estão fechando. e eu estou pedindo socorro.

uma livraria pode não ser importante para você e eu entendo. os livreiros não conseguem trabalhar descontos absurdos e, muitas vezes, é fora de mão pagar quase R$80 em um exemplar. mas as livrarias são muito mais do que isso – eu juro.

existe uma magia ali que está morrendo.

eu me lembro de quando ir na livraria era mais emocionante que o novo filme do star wars.

era como entrar em um mundo completamente novo. tinha um cheiro de madeira misturado com café fresquinho e as pessoas passavam horas e mais horas debatendo sobre clássicos, contemporâneos, lançamentos. foi numa livraria assim, em botafogo (rj), que a minha avó me comprou o príncipe caspian, o quarto livro de as crônicas de nárnia do c.s. lewis – também conhecido como o meu primeiro livro.

tem um prazer secreto em vagar de estante em estante olhando todas as opções, sentindo o cheiro dos livros novos se misturando com o que já estavam ali há algum tempo. as pessoas conversando sobre leituras incomum, o atendente puxando conversa e trazendo indicações. a sensação de poder relaxar e só ficar absorvendo o ambiente, como se estivesse em casa.

existe uma magia nas livrarias que a amazon, infelizmente, não consegue reproduzir.

é sobre encontrar.

leituras. amigos. amores.

e agora as livrarias estão acabando. estão sendo substituídas pelo mundo digital, pelas grandes lojas e pela facilidade de receber o livro embalado na porta de casa. e nós estamos perdendo a base do que faz ser um leitor uma experiência maravilhosa.

não se enganem, eu amo receber meu livro em casa. mas tem alguma coisa a mais quando eu sento no chão da livraria e começo a vasculhar livros e mais livros atrás daquele livro, sabe? as pessoas a minha volta se envolvendo na busca, trazendo indicações, trocando informações.

eu não tenho isso na amazon e, agora, talvez eu não tenha isso na vida também.

o mercado livreiro precisa de uma mudança se quiser sobreviver. se adaptar a nova realidade e encontrar a sua maneira de trazer para as livrarias essa nova geração de leitores online. não é uma tarefa fácil, sabemos.

é preciso trazer de volta essa magia. lembrar o leitor da experiência excitante de levar para casa uma recomendação de alguém que você acabou de conhecer. de tomar um suco ou um café enquanto vasculha as prateleiras atrás de jane austen.

não podemos deixar que as nossas livrarias acabem.

por favor, ajudem.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • Angela Cunha
    setembro 30, 2020

    Um post que dói no coração. Mas vou te confessar algo: moro no interior de Minas. Tentaram por duas vezes abrir livrarias na minha cidade. Nunca funcionou mais que meses.
    Não temos livraria. Não temos sebo.A biblioteca municipal abre quando quer e os títulos sempre estão tão defasados.
    A Americanas abriu aqui na cidade,mas em todas as promoções que aparecem nas grandes cidades, nunca chegaram até aqui. Alguns livros que compro pela internet a 20 reais, lá? Custa 50.
    Complicado e sim, nossas livrarias estão morrendo….

    Beijo ;/

    Angela Cunha/O Vazio na Flor

  • Rafaela Rodrigues
    setembro 30, 2020

    Caramba, eu tô aqui pensando em todas as vezes que tive momentos incríveis e até os mais comuns em livrarias e em como todos foram essenciais pra pessoa leitora que sou hoje :/ penso nas livrarias que já perdi e fico triste sabendo que esse conceito de livraria que conhecemos está sendo esmagado aos poucos 🙁